BIOGRAFIA
CURRÍCULO
Manuel Cargaleiro nasceu em 1927 em Portugal.
Realizou os seus estudos em Lisboa onde frequentou a Escola Superior de Belas Artes para se dedicar às Artes Plásticas.
Em 1949, expôs pela primeira vez no I Salão de Cerâmica Moderna, em Lisboa.
Em fevereiro de 1954, expôs na Galeria de Março em Lisboa, representando um marco importante para o reconhecimento do seu trabalho no mundo das artes. Nesse mesmo ano inicia funções, que mantém por 4 anos, de professor de Cerâmica na Escola de Artes Decorativas António Arroio. Também em 1954, foi galardoado com o Prémio Sebastião de Almeida.
A sua primeira formação como ceramista valeu-lhe a incursão no mundo então muito pequeno das artes portuguesas, de que viria a partir para procurar horizontes mais abertos.
Em 1955 recebe o Diploma de Honra da Academia Internacional de Cerâmica, em Cannes. Uma bolsa de estudos pelo governo italiano, através do Instituto de Alta Cultura, em 1957, permite-lhe aprofundar os seus conhecimentos na arte da cerâmica em Faenza, Roma e Florença. No seguimento dessa viagem fixa residência em Paris, onde se tornou mais tarde, artista representado em permanência na Galeria Albert Loeb, até 2015.
Em 1958, torna-se um dos primeiros bolseiros da Fundação Calouste Gulbenkian, possibilitando a realização de estágio na “Faïencerie de Gien”. Expõe cerâmicas e guachas, em 1959, com Camille Bryen e Jean Arp, na Galeria Edouard Loeb. Nesse mesmo ano, apresenta obras na Exposição de Cerâmica Contemporânea no Museu de Ostende, na Bélgica.
Nas décadas seguintes participa em inúmeras exposições individuais e coletivas, em diversos países, designadamente França, Brasil, Japão, Alemanha, Itália, Angola, Moçambique, Espanha, Venezuela, Suíça e Bélgica.
Em 1980 destacam-se as exposições na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, no Centro Cultural Português da Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris, e na Casa da Cultura de André Malraux, em Reims.
O Presidente da República Portuguesa atribui-lhe, em 1982, as insígnias de Comendador de Santiago da Espada. É condecorado Oficial das Artes e Letras pelo governo francês em 1984. Em 1988 é agraciado com a Grande Cruz da Ordem de Mérito pelo Presidente da República de Portugal. Manuel Cargaleiro é convidado, em 1985, para participar nos primeiros encontros de artistas plásticos da América Latina, Espanha e Portugal, em Jerusalém. Em 1990 criou a Fundação Manuel Cargaleiro, atualmente sediada em Castelo Branco, à qual doou um vasto conjunto das suas obras enquanto artista e colecionador, tendo em setembro de 2005 cumprido um dos principais objetivos com a inauguração do museu, em Castelo Branco, que no ano de 2011 é ampliado. No ano de 1995 executa painéis de azulejos em diversos locais públicos em Portugal, como também para a estação de metro parisiense Champs Elysées-Clémenceau, em Paris. Em 1999 é-lhe atribuído o 1º. Grande Prémio Internacional “Viaggio attraveso Ia Cerâmica”, colocando-o como grande referência artística em Itália, sendo inaugurado em Vietri sul Mare, no ano de 2004, o “Museo Artistico Industriale di Ceramica Manuel Cargaleiro”, que em 2015 se instala em Ravello, na Costa Amalfitana, com a designação “Fondazione Museo Manuel Cargaleiro”. Em 2016 Manuel Cargaleiro encontra-se representado em permanência na Galeria Hélène Bailly, em Paris.
Em Março de 2016 inaugura uma exposição de cerâmica, na Galeria AP’ARTE, no Porto.
Clique aqui para ver a exposição deste artista na Galeria AP’ARTE.
2010 AP'ARTE galeria de arte contemporânea  |  Todos os direitos reservados
PT
EN